Beijo espontâneo, beijo roubado, na boca, beijo na mão, de selinho, enfim, qualquer beijo tem um significado ou uma alquimia, de acordo com a cultura do povo e a imaginação. Fique atento e cauteloso com os efeitos do beijo. Ele pode ser intenso ou não, mas beijo na vida real pode ser papo sério!

Beijar é bom e pode fazer muito bem a saúde física e mental. Ativa as emoções, diminui a pressão arterial por dilatar as artérias e facilita o fluxo do sangue. Libera hormônios importantes de endorfina, ocitocina, dopamina e serotonina. Hormônios ilustres conhecidos como, hormônios da felicidade. E mais, queima calorias. Um beijo caprichado pode queimar de 8 a 16 calorias, olha só que máximo!

E o que falar do simbolismo que o beijo representa. Vai desde o amor, amizade, desejo, alegria, confiança, aumento da auto estima, facilita vínculos, mas não podemos esquecer também, do beijo falso. Esse último abafa, deixa para uma outra oportunidade. Vamos nos reter apenas nas vantagens.

Algumas curiosidades que estão por trás do beijo e que pouco são divulgadas, por exemplo:

  • Os lábios são 100 vezes mais sensíveis do que as pontas dos dedos;
  • O beijo mais longo registrado foi em Londres entre os dias 5 e 6 de julho de 2005, quando um casal se beijou por 31 horas, 30 minutos e 30 segundos;
  • Estudos apontam que aproximadamente dois terços das pessoas inclinam a cabeça para a direita quando se beijam. Tal estudo aponta que vem desde a posição do bebê no útero;
  • Beijar é bom para os dentes. Pois, de acordo com estudos a antecipação de um beijo aumenta o fluxo de saliva para a boca, dando aos dentes um banho de dispersão de placas;
  • Beijar no final de uma cerimônia de casamento pode ser relacionada à tradição romana antiga, onde um beijo foi usado para assinar contrato.

Pois bem, muitas são ainda as curiosidades ou estudos relacionados ao beijo, inclusive que o primeiro beijo registrado por escrito conta 1.500 a.C., através de textos Sânscrito Védicos, que é uma antiga língua indiana, a língua dos Vedas. E por aí vão as curiosidades. Porém, a principal delas é a curiosidade da própria pessoa, quando ocorre o primeiro beijo que levanta questões de, como será? será que ele(a) gostou? será que beijo bem? Não procure saber, isso é seu e siga em frente.

O certo é que, o ato de beijar pode ser considerado um dos recursos mais importante para se definir qualquer tipo de vínculo entre nós, humanos. Além de selar relacionamentos, produz poderosos elementos saudáveis. Como já definia Cazuza: “Se combina o beijo, já é meio caminho andado”.

Um grande abraço!

About The Author

Envie seu comentário

Seu email não será publicado.