A Ingratidão é um sentimento que limita o agradecimento daquele que se sente em dívida com alguém. A ingratidão é a ausência de um reconhecimento alheio, é não ter gratidão pelo o que fizeram por você. É estar sempre insatisfeito, e ao mesmo tempo querer sempre mais e mais do outro. À luz da psicologia, é um mecanismo de defesa de quem não sabe lidar com o afeto.

A pessoa ingrata tem em si, o orgulho, o egoísmo, o individualismo e a incapacidade de se colocar no lugar do outro. Seus interesses sempre estão acima de tudo e de todos, descartam com facilidade o outro. Quando não são psicopatas, são pessoas que trazem traços importantes de personalidade psicopata. Os ingratos são infelizes e não suportam a felicidade do outro, e isso o incomoda profundamente.

Os ingratos são traidores na sua essência, sugam a sua energia boa, se alimentam das dores da alma do próximo e se atraem principalmente de pessoas bondosas e bem intencionadas. São pessoas especialistas em produzir uma disfunção na auto estima do outro, causam frustrações recorrentes provocando um sofrimento psíquico em quem se relaciona com ele. O, “muito obrigado!” é inexistente no seu vocabulário.

Profissionais do comportamento entendem que são características de personalidades que se inicia na tenra infância, que podem ter referência na dinâmica familiar e contexto ambiental em que a criança está inserida. Alguns estudiosos defendem a idéia de que a ingratidão está relacionada a falta de amadurecimento emocional referente aos sentimentos não nobres como rivalidade, egoísmo, inveja, onipotência, soberba, desamor, entre outros.

Mas, como nem tudo está perdido, não desanime! Há mais pessoas gratas, bondosas e bem intencionados. São pessoas que reconhecem que para ser feliz consigo mesma, necessitam do apoio do outro. Valorizam e sentem gratidão pelo que o outro faz a ele. Ao contrário do ingrato, o grato tem a capacidade de reconhecer o afeto e a amizade.

Concluo com a seguinte frase de Victor Hugo, sobre a ingratidão: ” Os infelizes são ingratos, isso faz parte da infelicidade deles”

About The Author

One Response

  1. ELIZABETH mYRA

    mUITO BOA A MATERIA PASSEIA A ENTENDER A MINHA IRMÃ E O MELHOR É AFASTAR DE VEZ.

    pARABÉNS

    Responder

Leave a Reply

Your email address will not be published.