A acumulação compulsiva pode provocar doenças psicossomáticas que levam anos para se manifestar. Pode ser considerada uma doença psicológica que torna a pessoa dependente das coisas a tal ponto que não consegue se libertar de nada causando um sofrimento mental comprometedor.
O portador da acumulação torna a vida um verdadeiro inferno e afeta diretamente as relações com as pessoas em sua volta. Compram o que não precisam, assim como mantém o que já possuem transformando sua casa em verdadeiro depósito, comprometendo não só o espaço físico, como também a higiene do local.
Por trás deste comportamento pode se detectar uma ansiedade, medo, insegurança, frustração, entre outros sentimentos que leva a pessoa a transferir de forma equivocada, tais sentimentos, aos objetos que acumulam. Causando, dessa forma, uma mórbida e patológica compensação de algo que a aflige.
A acumulação piora com o tempo. Para controlar a doença é preciso um longo caminho que leve a raiz do problema, onde o doente precisa enfrentar seus medos e frustrações. E isso está ligado intimamente com a auto estima do acumulador.
Esta patologia é de extrema crueldade, pois afasta amigos e familiares e causa ao doente uma sensação de interminável vergonha pelo caos que se instala em sua casa e em sua vida.
A sociedade consumista contribuí bastante para manifestação desses sintomas em pessoas que podem trazer uma predisposição a acumulação.
Importante ressaltar a diferença que há entre um colecionador e um acumulador compulsivo. Embora em alguns casos o colecionador possa ser um acumulador o que vai diferenciar, é de que forma a pessoa irá acumular. O colecionador pode ser organizado dentro de sua compulsão e de repente não incomodar em nada na sua vida. Colecionar é, a princípio, um hobby, não uma patologia . A pessoa adquire objetos que tenham entre si alguns aspectos em comum. Se esses objetos já passam a ser excessivos ocupando um espaço muito grande, sem ordem ou higiene e ele sofre ao se desfazer, ou até trocar, ele pode vir a se tornar um acumulador compulsivo.
As formas de tratamento para esta patologia são as psicoterapias para localizar o gatilho da ansiedade que provocam as causas da acumulação compulsiva. É preciso também aceitar e reconhecer o problema e desejar a mudança e agir para mudar, muitas vezes combinada com a medicação, o que ajuda a minimizar os sintomas. Atualmente, os produtos farmacêuticos utilizados no tratamento da acumulação compulsiva são aqueles que são usados para ajudar os pacientes que sofrem de transtornos obsessivos compulsivos, isto é, os inibidores seletivos da recaptação de serotonina e outros antidepressivos. É preciso quebrar o ciclo vicioso de acumular coisas desnecessárias. Mas nada disso é possível sem o apoio familiar. A ação positiva da família junto ao acumulador é a chave para estimulá-lo e encorajá-lo a mudar, e muitas vezes é uma ferramenta poderosa que eleva a auto estima do acometido pela acumulação, levando a prosseguir na busca do controle, de seu problema.

photo_disorder

About The Author

Envie seu comentário

Seu email não será publicado.