O número de doenças diretamente ligada ao estresse está em franca evolução. E a síndrome de burnout, é uma delas com características que leva a pessoa a um estado de exaustão físico e mental relacionado às atividades laborais. 

O termo "burnout" significa queimar por completo, definida pelo médico psicanalista americano Freudenberger, em 1974. Ainda que seja uma síndrome altamente democrática, características individuais contribuem para estabelecer e apresentar vulnerabilidade em determinadas pessoas. 

O desejo e a necessidade são características subjetivas de cada indivíduo. Com isso, há pessoas com necessidade e desejo da auto afirmação e aprovação deslocando isso ao trabalho de forma obsessiva e compulsiva, levando a fadiga e exaustão. 

Os sintomas iniciais se caracterizam pela perda de vitalidade e desânimo. São sintomas de ordem física como insônia, dores musculares, alteração no apetite e enxaqueca. E de ordem psicológica como irritabilidade, desinteresse, alteração de humor, indiferença, tédio e insatisfação.

É importante saber diferenciar estresse e burnout. A diferença básica entre eles é que no caso da síndrome, ela se sustenta quando a pessoa apresenta os sintomas referidos acima, até quando, por exemplo, retorna de um período de férias. E o estresse é apenas um estado em função da necessidade de dar um tempo e sair de férias e pronto, no retorno tudo se resolve. 

Sugiro como terapia para quem padece dessa síndrome, mudança total na forma de levar a vida. Dependendo do nível de comprometimento nas atividades de vida diária da pessoa, recomendo avaliação com médico psiquiatra juntamente com o psicólogo e atividade física.

About The Author

Envie seu comentário

Seu email não será publicado.