Atualmente o termo foi introduzido pelas ciências humanas e expressa a capacidade do ser humano de superação nas diversas dificuldades da vida. Termo esse que vem da física e se refere a materiais resistentes, a impactos e pressões, sem alterar suas qualidades.

 Diante dessa referência, embora oriunda de uma ciência exata, está sendo adaptada à psicologia. Já que se observa que há pessoas resilientes. São pessoas que, ainda levem as “pancadas da vida”, reagem de forma diferente, se superam e se tornam mais fortes nas situações de estresses e até mesmo traumáticas. O resiliente é aquele que, embora perca o emprego, no luto de um parente ou amigo, quando a mulher pede o divorcio ou repete na escola, ainda assim, ele continua firme e forte, sem se deixar abater. Daí vem a pergunta: “Como ele(a) aguenta tanta dificuldades?”

  A resiliência psicológica é um recurso da personalidade, que pode ser aprendido desde que a pessoa se determine ao processo de mudança de padrão de comportamento. Pois o ser humano nasce com habilidades de superação e de se adaptar com sucesso frente às dificuldades da vida de forma saudável e construtiva.

 Sugiro que para tentarmos ser resiliente, precisamos refletir, entender e aprender o que sentimos. Vivemos sem nos darmos conta das nossas sensações subjetivas e isso nos confunde bastante. Estar atento aos nossos sentimentos é uma das maneiras mais simples de desenvolver nossa capacidade de enfrentamento emocional.

 O que se constrói pode ser desconstruído e construído novamente, de forma positiva. Assim é a dinâmica do resiliente.

 

About The Author

Envie seu comentário

Seu email não será publicado.